PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Na contramão dos remakes: conheça o "Demake" de Resident Evil no Mega Drive

16 Bits da Depressão

08/04/2020 04h00

Indo na contramão de todo o barulho com o remake de Resident Evil 3, vamos conhecer um pouco mais sobre uns caras que estão levando a franquia para uma direção oposta. Bio Evil é um "demake" do primeiro jogo da série. Ou seja: um port do game para um console de tecnologia anterior ao console original de lançamento.

Como não é todo PC que pode rodar jogos da atual transição de geração, em breve você poderá usar um emulador ou um Mega Drive pra jogar um Resident Evil reimaginado com o charme dos pixels e dos chiptunes de frequência modulada. Inclusive você pode conferir aqui os requisitos mínimos pra rodar Resident Evil 3 no seu PC.

Agora se liga no papo de um dos desenvolvedores do game que disponibilizou um tempo pra falar mais algumas curiosidades sobre os bastidores do projeto conosco.

16 Bits: Primeiro de tudo, deixe-me parabenizar vocês pelo incrível trabalho que desenvolvem para aqueles que amam retrogames. Você poderia falar mais sobre este projeto, quem está envolvido, quando iniciaram e o que fez vocês decidirem pelo demake de Resident Evil em particular?

Денис Савин (Denis), um dos desenvolvedores da PSCD (e seu gato)

Denis Savin: Obrigado por não ignorar o nosso trabalho e nos ajudar a contar as pessoas sobre ele. Somos uma equipe de caras da Rússia e da Ucrânia. Este projeto é nosso trabalho a longo prazo, já que nos mobilizamos sem ter nenhuma experiência na área. Se nossos programadores da equipe, chamada PSCD, têm experiência em programação para Mega Drive, eu sequer saberia. Estou mais atraído pela parte da arte e pela comunicação com as pessoas. E assim começou o nosso trabalho. Programadores da PSCD programam e eu faço todo o resto: desenho locais, comunico-me com pessoas, mostro nosso projeto. Além disso, NEPD_SP se juntou a nós um pouco mais tarde – ele está envolvido em animação, e Daniil Kulikov compõe covers de músicas originais para nós.

Aliás, durante o desenvolvimento do jogo, conheci ótimos caras do Brasil. Por exemplo, Mauro R. Flores, que está desenvolvendo o jogo Fight for Revenge. Alexsandro Mendes (Journey to Oblivion) e o divertido e controverso youtuber Diego Ramires, conhecido por todos como UCOLECIONADOR!

Por que empreendemos este projeto em particular? Um grande amor pela franquia e um desafio para que façamos algo fora do padrão, pois existem poucos jogos de visão isométrica no Mega Drive.

16 Bits: Bacana saber que o projeto é praticamente uma colaboração internacional com brasileiros ativamente entusiasmados, em especial nosso querido UCOLECIONADOR, que é praticamente um patrimônio folclórico da comunidade retrogamer. Sobre o projeto de vocês, sabemos que é um imenso trabalho, anos de desenvolvimento para conseguir algum progresso, principalmente se tratando de uma equipe pequena. Ainda assim precisamos saber: existe alguma intenção de fazer outros demakes de Resident Evil depois deste?

Denis Savin: Infelizmente, ainda é muito difícil dizer isso. Somos uma equipe sem renome, não temos projetos conhecidos, mas gostaríamos muito que a Capcom prestasse atenção e, de alguma forma, nos notasse. Apesar da preocupação sobre nosso projeto poder ser impedido a qualquer momento. Se soubéssemos com certeza que tudo ficaria bem com o nosso projeto, então, talvez com base na experiência que temos, poderíamos criar outros jogos da série, bem como a série Dino Crisis.

16 Bits: Então existe receio quanto à possibilidade de reclamação de direitos autorais por parte da Capcom. Foi por isso que decidiram nomear o projeto como Bio Evil?

Denis Savin: Isto é mais uma maneira de impedir que o projeto seja impedido em um estágio inicial de desenvolvimento, porque já empregamos muito tempo e esforço nele. Afinal, muitas pessoas pensam que isso foi feito por causa do hype, e não porque nós apenas queremos fazer esse jogo em particular e nesse universo. Nós até nos afastamos do conceito principal e desenvolvemos por algum tempo o jogo Red Star, em que os eventos ocorreriam paralelamente à segunda parte, na estação submarina soviética. Tudo por receios sobre a proibição da Capcom. E no final, Red Star se tornou nosso projeto futuro após a conclusão de Bio Evil.

16 Bits: Fico na torcida para que nenhuma medida legal atrapalhe o trabalho de vocês e que, muito pelo contrário, vocês até recebam incentivo para continuar com ele. Pelo que me recordo, o projeto inicialmente contava com uma demo onde Claire Redfield explorava a mansão clássica no lugar de Jill Valentine. Existe algum motivo pela seleção deste personagem específico?

Denis Savin: O motivo é um tanto banal. Naquela época o projeto não tinha um artista e eu estava envolvido apenas com cenários. Claire foi inserida apenas como um "dummy" da versão mobile do jogo.

16 Bits: O que podemos esperar do jogo em termos de história? Ele seguirá o jogo original ou haverá coisas novas no enredo?

Denis Savin: O jogo seguirá totalmente o original, pelo menos o máximo que conseguirmos de acordo com o poder do Mega Drive.

16 Bits: Vimos diversas pessoas ansiosas pra poder jogá-lo o quanto antes. Não os culpo porque o jogo realmente parece promissor. O que alguns deles talvez não compreendam é que tal trabalho é realmente muito difícil e demanda inúmeras horas de trabalho e esforço. Qual tem sido a etapa mais difícil pra vocês?

Denis Savin: O mais difícil é a falta de tempo. Fazemos um projeto quando temos tempo disponível. Se tivéssemos financiamento, poderíamos finalizá-lo rapidamente. Mas este é o problema de muitas equipes pequenas, o tempo é a nossa única dificuldade.

16 Bits:  Sei que vocês possuem uma campanha no Patreon em que as pessoas podem ajudar a financiar seus projetos, que não apenas contam com o jogo Bio Evil, como também alguns outros projetos. Conte um pouco pra nós sobre os outros jogos.

Denis Savin: Estamos portando jogos interessantes para o Mega Drive. Isso nos dá a oportunidade de adquirir experiência. Por exemplo, ao fazer o port do jogo Foxyland (a propósito, ele já pode ser encomendado em nossa loja) ganhamos experiência e isso nos deu a oportunidade de melhorar o mecanismo de Bio Evil. Agora será melhor e, talvez, graças a isso, publicaremos a demo antiga para acesso gratuito.

Foxyland é um jogo de plataformas com gráficos lindos e jogabilidade rápida e divertida. Você nunca fica parado, está sempre em movimento. Você interpreta o personagem principal Foxy, cuja namorada foi sequestrada e passa a jogar diamantes como migalhas de pão, mostra o caminho para Foxy em busca de resgate. Em nossa versão, adicionamos variedades, novos cenários, adicionamos chefes que não estavam no original, criamos e terminamos o jogo, esclarecendo quem realmente efetuou o sequestro da namorada do protagonista e fazendo uma referência a segunda parte do jogo. A dinâmica do jogo é simplesmente incrível.


Também estamos desenvolvendo um port do jogo do Debtor. Este é um tipo de simbiose de um jogo de plataforma e um puzzle. No jogo, você tem que pensar com a cabeça para sair da sala e entrar na próxima. O jogador está, por assim dizer, entre a vida e a morte, e ele precisa coletar todas as moedas para chegar ao final do jogo e fazer uma escolha. O final do jogo dependerá disso.

16 Bits: Então fica o convite do Denis para que mais pessoas conheçam os outros jogos através do Patreon e das redes sociais deles. Agora, o que eu gostaria de saber é se vocês chegaram a jogar este Resident Evil 3 recém-lançado? Houve tempo pra conferir?

Denis Savin:  Infelizmente, ainda não joguei. Simplesmente não há tempo suficiente, principalmente porque agora começamos a desenvolver ports para o SNES. Já começamos o trabalho de portar Foxyland e Debtor para esta plataforma. É possível que Bio Evil também apareça no Super Nintendo.

16 Bits: Obrigado por conseguir um tempo pra nos responder. Realmente esperamos que mais pessoas conheçam e financiem seu trabalho para que possamos poder jogar estes games muito em breve. Bom trabalho e um grande abraço virtual do Brasil.

Denis Savin:  Muito obrigado. Afinal, graças a vocês, conseguiremos contar para mais pessoas sobre nós.

_____________________________________________________________

Abaixo seguem algumas páginas e perfis de redes sociais onde vocês podem conferir mais do trabalho deles. Não deixem de visitar o Patreon dos caras e, se possível, apoie a iniciativa deles.

Shop – https://pscdgames.com/

Patreon – https://www.patreon.com/PSCDgames

YouTube – https://www.youtube.com/channel/UCEMT98pkavTv1dQfZaShvQg

Vkontakte – https://vk.com/pscdru

Site: http://pscd.ru/

Facebook – https://www.facebook.com/groups/312428125976652/

Twitter – https://twitter.com/greengh0st1

Sobre o Blog

Diversão, alegria e jogos eletrônicos! Ou decepção, sofrimento e um pouco mais de jogos eletrônicos? O 16 Bits da Depressão vai abordar os assuntos que estão em alta no universo gamer, sempre com muito bom humor e poucos pixels.