PUBLICIDADE

Topo

Histórico

De Pac-Man a Life is Strange: 10 casais inesquecíveis dos games

16 Bits da Depressão

12/06/2020 12h15

Como hoje é dia daquela data comercial que foi instituída para fomentar floriculturas e chocolaterias, vamos relembrar alguns dos casais mais tradicionais da história dos videogames! Pelo menos dentre os games que eu conheço –então desculpe, alguns casais de Final Fantasy estarão de fora da lista.

1 – Pac-Man e Ms. Pac-Man

Como eu adoro começar minhas listas de forma cronológica, o primeiro grande casal da história dos games que vale mencionar é Pac-Man e Ms. Pac-Man. Este é um casal que simboliza muito bem a data de hoje, já que é notório o interesse comercial por trás da origem desse relacionamento.

Logo no ano seguinte do estrondoso sucesso dos fliperamas, a Midway meteu as caras para fazer um clone de Pac-Man visando pegar a mesma onda pra surfar em todo aquele dinheiro que ia pros cofres da Namco. Tanto o design do jogo quanto do gabinete deixavam claro que a empresa estava almejando conquistar o público feminino, que até então era minoritário.

A empresa também adotou uma política de contratação feminina para ter maior pluralidade em sua linha de produção, com a ideia de ter mulheres manufaturando para mulheres consumirem. Abaixo podemos conferir um pouco do processo de produção na linha de montagem da Midway em 1982.

Não demorou muito para que rolasse um acordo entre as duas empresas, e ambas dividiriam as fatias do bolo enquanto fãs do mundo inteiro jogavam nas máquinas do casal amarelinho.

1,5 – Mario e Peach?

Antes de continuar, deixe-me abrir este decimal para explicar que Mario e Peach não são um casal amoroso, ou pelo menos não oficialmente. Há alguns materiais promocionais da Nintendo que se referem aos dois como um par romântico, mas isso nunca foi confirmado in-game, e a Nintendo sempre deu voltas para responder quem indagasse sobre a oficialização do relacionamento. Sim, talvez o mais famoso casal dos games não passe apenas de uma fanfic.

Ah, e mais um "casal" que, apesar de rolar um clima às vezes, nunca teve nada oficializado: o Zelda e a Zelda, digo, o Link e a Zelda. O mais próximo de um beijo ocorre no final de Zelda II quando, após o resgate da princesa, as cortinas se fecham com os dois bem próximos um do outro. Sabe-se lá o que aconteceu ali no escurinho… É outra incógnita amorosa que a Nintendo mantém há décadas.

2 – Arthur e Princesa Prin Prin

Ainda nos fliperamas, o protagonista de Ghosts 'n Goblins parte em busca do resgate de sua amada Prin Prin. Esse, sim, é um casal bem explícito, inclusive explícito até demais já que podemos até ver os dois no maior love antes de serem interrompidos pelo antagonista do jogo. Foi o primeiro grande Coitus Interruptus involuntário na história dos games.

3- Mai Shiranui e Andy Bogard

Não podia faltar este casal bom de briga por aqui. A SNK até possui alguns outros casais, como Yuri e Robert ou Terry e Blue Mary, mas o destaque precisa ficar com Mai e Andy. Quem é louco nos jogos de luta da série SNK e acompanhou o desenrolar da lore amorosa entre os dois certamente é grande fã do casal. O mais interessante era ver a introdução da batalha quando os dois se enfrentavam, sempre com uma cena bem inusitada e até engraçada. Confira algumas:

4 – Johnny Cage e Sonya Blade

Pois é, desta vez tenho que incluir Mortal Kombat e deixar Street Fighter de lado. Há alguns casais conhecidos na franquia de jogos da Capcom, como Ken e Elisa, Guile e Julia, porém nada confirmado entre protagonistas, apenas aquele clima entre Sakura e Ryu, Chun-li e Nash, e Rose e Guy.

Até poderia destacar Kitana e Liu Kang para representar um dos pares românticos do universo de MK, mas particularmente tenho que dar preferência ao Cage e a Sonya. Convenhamos, foi uma lore bem mais explorada e até foram progenitores de uma nova personagem selecionável: Cassie Cage.

Seguindo esse mesmo critério, também vale mencionar Sindel e Shao Kahn, que não apenas conceberam a Kitana como, por tabela, ainda conceberam a Mileena.

5 – Cody e Jessica

Como Street Fighter está fora da lista, Final Fight não poderia estar. O lance entre o ex-presidiário e a filha do ex-prefeito não durou muito tempo, mas esta hilária cena em que Cody toma umas solapadas do amigo para poder voltar para sua amada é suficiente para ganhar menção por aqui.

6 – Ada e Leon

Deixando os pixels de lado e chegando com tudo nos 32 bits, Leon e Ada formam aquele casal relâmpago que logo vem à mente. Uma história breve porém intensa, cheia de intrigas e um desfecho trágico.

Pra ser sincero, não acompanhei os jogos além do quinto e não faço ideia se rolou algo mais entre os dois depois do segundo incidente em Raccoon City. Fiquem à vontade pra me dar spoilers nos comentários.

7 – George Stobbart e Nicole Collard

Claro que você está se perguntando "mas quem, diabos, são esses dois?". Pois é, jogos de narrativa em point and click que não receberam traduções foram pouco populares por aqui.

A saga Broken Sword é composta por 5 jogos que presenteiam os jogadores com aventuras envolvendo conspirações globais, organizações criminosas, terroristas e até atividades sobrenaturais. É neste intrigante enredo que as vidas de George e Nicole se cruzam, dando início a uma jornada investigativa que envolve amor e mortes.

Fica a dica de belíssimos jogos para maratonar nessa quarentena. O bundle com os 5 jogos tá saindo a pouco mais de R$ 100, mas eu garanto que vale cada centavo pra quem é fã de aventuras point 'n click. Confira aqui! 

8 – Wander e Mono

Chegando na sexta geração de consoles, a riqueza narrativa que os jogos proporcionaram foi mais que suficiente para que o número de casais amorosos nos games crescesse exponencialmente. Nesta época eu joguei pouquíssimo videogame e infelizmente acabei perdendo alguns clássicos que marcaram o Playstation 2, o Xbox e o Dreamcast.

Mas se tem um jogo destes consoles que é inevitável pra quem quer que seja apaixonado por jogos eletrônicos, este jogo é Shadow of the Colossus.

A melancólica história entre Wander e Mono não deixa claro que exista algum tipo de relacionamento, ficando a cargo do jogador interpretar as nuances do momento onde os dois se encontram. Depois de tudo que Wander enfrentou para poder trazer uma nova vida a Mono, fica difícil imaginar alguma motivação além de amor.

9 – Sonic e Elise?

Claro que eu não deixaria de citar o bizarro lance entre uma humanoide e o querido ouriço azul da SEGA. Se não for pra traumatizar o leitor eu nem abriria o editor de texto!

Em tempos de cultura furry onde se tem repensado o conceito de zoofilia, o breve lance entre esses dois pode parecer um tanto menos chocante do que foi para os fãs de Sonic em 2006.

Talvez até o fuzuê tenha sido uma tempestade em copo d'agua já que aquele beijo não tinha, em si, uma conotação romântico, sendo apenas uma espécie de rito para trazer o Sonic de volta a vida. De qualquer forma, o espírito de quinta-série por aqui não perdoa! Se deu selinho então "Tá namorando! ♫ ♫ Tá namorando! ♫ ♫"

10 – Chloe e Rachel

Chegando na sétima e oitava geração, esta lista poderia seguir por muitos e muitos parágrafos para contemplar casais tão marcantes da décima arte. Para mim, o casal que melhor sintetiza o salto das narrativas em jogos de vídeo game é apresentado na franquia Life is Strange. E que casal, meus amigos!

É simplesmente impossível não lacrimejar relembrando as nuances da relação entre Chloe e Rachel em uma narrativa tão bem construída que bastaria um mínimo de empatia para que qualquer barreira referente a preconceito se desfaça. A coisa se torna ainda mais interessante pelo fato de o relacionamento rolar apenas com o consentimento/decisão do jogador, quase como uma bênção.

A mim, pouco importa que haverá acusações de querer "lacrar" falando de games, já que possivelmente eles partem de quem nunca jogou o game ou de quem tem a empatia de uma ervilha. Quanto a isso, fico com a consciência tranquila de encerrar a lista com aquele que indiscutivelmente é o casal mais impactante na história dos videogames, e os boomers que me perdoem.

Sobre o Blog

Diversão, alegria e jogos eletrônicos! Ou decepção, sofrimento e um pouco mais de jogos eletrônicos? O 16 Bits da Depressão vai abordar os assuntos que estão em alta no universo gamer, sempre com muito bom humor e poucos pixels.