PUBLICIDADE

Topo

Histórico

De Alex Kidd a Limbo: 10 games em que as crianças são a estrela

16 Bits da Depressão

12/10/2020 06h52

Quem aí, quando criança, também curtia jogos protagonizados por outras crianças? Era uma experiência imaginativa bem empolgante se ver no lugar delas, superando obstáculos, enfrentando desafios e se tornando herói ou heroína.

Com o Dia das Crianças aí, vale relembrar de alguns dos grandes jogos onde elas são as grandes protagonistas, não devendo nada ao estereótipo dos fortões e durões.

1. Bobby is Going Home (Bobby)

Bobby is Going Home (Bit Corporation, 1983) – Bojogá

Lá em 1983, as crianças que tinham um Atari 2600 em casa podiam assumir o papel de Bobby, um menino que precisa passar por diversos perigos até finalmente se refugiar em casa. Foi um dos primeiros jogos com uma canção reconhecível, um hino natalino difundido principalmente na América.

Bobby foi um jogo extremamente popular no Brasil devido à falta de licenciamento, sendo fabricado e distribuindo principalmente pela CCE e pela Dactar com o nome de "Bobby vai para casa".

2. Kid Icarus (Pit)

Kid Icarus | NES | Games | Nintendo

Nem só de gorilão, princesas e encanadores viveria a Nintendo. As crianças já faziam parte do público alvo da empresa, e em 1986 foi a vez de elas serem representadas com estilo nos monitores de Arcade e no Nintendinho: como um angelical soldado combatente das forças do mal.

Em Kid Icarus, Pit progride por plataformas enfrentando monstros mitológicos para libertar Palutena, a Deusa da Luz, das garras de Medusa, a Deusa das Trevas.
A franquia rendeu apenas três jogos principais, e o personagem fez modestas participações em outros jogos da Nintendo, a mais notável sendo Smash Bros Ultimate.

3. Alex Kidd in Miracle World (Alex Kidd)

Alex Kidd in Miracle World DX no Steam

Como já dedicamos uma postagem inteira para relembrar a franquia de Alex Kidd, o que vale mencionar é que este carismático menino da SEGA estará de volta em um aguardadíssimo remake anunciado recentemente. Alex Kidd in Miracle World DX vai quebrar um jejum de quase 30 anos sem jogo próprio!

4. Phantasy Star (Alis)

Phantasy Star (Master System): 30 anos deste revolucionário RPG - GameBlast

Para efeitos de determinadas leis, uma adolescente de 15 anos é considerada criança. Isso é pretexto suficiente para mencionar um dos principais RPGs eletrônicos de todos os tempos. Com essa idade, Alis Lindale já era uma heroína capaz de salvar uma constelação inteira das influências malignas de Dark Falz, a personificação do mal.

5. Bonk's Adventure (Bonk)

JMD1200 on Twitter:

Outro clássico que não poderia estar de fora da lista. Bonk é um cabeçudinho menino das cavernas que luta contra dinossauros em busca do resgate da princesa Za. Não é lá uma das crianças mais carismáticas dos games, mas o restante do jogo ganha destaque por ter um visual chamativo, traços cartunescos e uma experiência de jogo agradável, consideravelmente menos difícil que os outros clássicos de plataforma.

6. EarthBound (Ness)

EarthBound | Super Nintendo | Games | Nintendo

Aqui temos não apenas uma criança, mas um grupo de quatro jovens sob a liderança do protagonista Ness. Earthbound é um psicodélico RPG baseado em obras que exploram narrativas de amizades entre crianças com elementos de ficção científica. Foi um terrível fracasso em vendas no ocidente devido a uma campanha de marketing desastrosa, porém, com o advento da internet, acabou alcançando o status de cult por conta da comunidade de fãs que o exalta até hoje.

O que vale mencionar sobre este clássico do Super Nintendo é o valor de sua influência na atmosfera do grande sucesso de 2015, Undertale. A propósito, trata-se de outro game que tem uma criança como protagonista.

7. Heart of Darkness (Andy)

Flashback Download Game | GameFabrique

Heart of Darkness é uma das pérolas do Playstation que se apresenta como um sucessor espiritual do clássico 16-bit Another World. Nele, o jogador controla um menino que sofre com medo do escuro e precisa resgatar seu adorável cãozinho de forças alienígenas.

Trata-se de um jogo visualmente incrível, com animações bem fluidas, ricos efeitos sonoros e uma mecânica que envelheceu bem. É uma boa dica de jogo para os dias de hoje.

8. Limbo (Menino Sem Nome)

LIMBO on Steam

Limbo é possivelmente o jogo indie mais significativo de seu tempo, revivendo o gênero de puzzles de plataforma nos consoles da sétima geração. Você controla um menino que desperta no Limbo: local que, segundo a doutrina cristã, seria um lugar fora dos limites do céu destinado a crianças falecidas sem terem sido batizadas.

Como é de se esperar, o jogo é sombrio em ambos aspectos: tanto em seu visual, todo em tons de cinza, quanto em sua atmosfera, acompanhada por cenários pantanosos, criaturas intrigantes e incríveis efeitos sonoros.

9. The Walking Dead: A Telltale Game Series (Clem)

The Walking Dead: Season Two Game Guide | gamepressure.com

O jogo da Telltale baseado no universo dos quadrinhos de The Walking Dead tem uma das garotinhas mais duronas da 11ª arte. O mais de legal de tudo é que ao longo das quatro temporadas do game é possível acompanhar o crescimento e o amadurecimento da personagem em um turbulento mundo pós-apocalíptico.

10. The Last of Us: Left Behind (Ellie)

Saiba como baixar o DLC de The Last of Us: Left Behind no PS3 e PS4 - SOFTMIX Informática - Vitória

Como deixar de mencionar uma das personagens mais emblemáticas das gerações atuais? Na expansão de The Last of Us intitulada Left Behind, Ellie assume o papel de protagonista em uma história não-linear que passeia entre momentos importantes na construção da personagem.

Os eventos desta sequência são imprescindíveis para quem quer se aprofundar nos desdobramentos psicológicos que são tão característicos da série e que ficam em evidência em The Last of Us 2, quando uma Ellie amadurecida, porém problemática, confronta seus anseios e angústias.

Como de praxe, não deixe de nos contar qual criança protagonista em algum jogo ficou de fora da lista. Conte-nos também se você ficou interessado em jogar algum dos que listamos aqui.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre o Blog

Diversão, alegria e jogos eletrônicos! Ou decepção, sofrimento e um pouco mais de jogos eletrônicos? O 16 Bits da Depressão vai abordar os assuntos que estão em alta no universo gamer, sempre com muito bom humor e poucos pixels.